Archive for Política

Refugiados. Você sabe quem são eles?

refugiados

                               http://migre.me/rJMaQ

     Atualmente você deve estar acompanhando, ou pelo menos já deve ter visto nos noticiários, milhares de pessoas se arriscando em barcos lotados, tentando chegar em outros países, não é mesmo? Vamos então tentar entender o que está acontecendo.

     As milhares de famílias que vemos nos barcos no meio do oceano, estão saindo de seus países de origem por conta de guerras causadas principalmente por motivos políticos e religiosos. Essas pessoas são os chamados refugiados, ou seja, aqueles que estão fugindo em busca de um local seguro. Eles ficam com tanto medo de permanecerem seu país que a única opção é fugir.

     A Europa é o local que mais está recebendo os refugiados, e os principais destinos são: Grécia, França, Itália e Inglaterra. A maioria deles está saindo da Síria, Afeganistão, Iraque, Líbia e Eritreia.

 

     Imagine uma família tendo que sair de sua casa de repente, deixando para trás todas as suas coisas e toda a sua história de vida! Que situação terrível! Pois é, as pessoas ficam tão desesperadas que tentam, a qualquer custo, fugir das guerras, da pobreza e da violência. A Síria, por exemplo, é um dos lugares mais perigosos para se viver. As crianças sírias, por exemplo, ao invés de irem à escola, são forçadas a lutar na guerra e a fabricar bombas. É por isso que as famílias decidem se arriscar para fugir. Desesperadas, elas tentam chegar à Europa em barcos improvisados e superlotados. Infelizmente, muitas pessoas acabam morrendo.

     E quando eles conseguem chegar nos outros países? O que acontece?

     Bem, como vimos, o refugiado é aquele que perdeu quase tudo. Ao chegar em um novo país ele enfrenta muitas dificuldades, e precisa conquistar muitas coisas, como respeito, trabalho, moradia, acesso à educação. Todas essas dificuldades se tornam ainda maiores diante do desafio de entender e ser entendido num país que fala um outro idioma.

     Para minimizar tanto sofrimento, existem várias organizações e entidades que oferecem ajuda aos refugiados (Cruz Vermelha, Médicos Sem Fronteiras, entre outras). Além disso, muitas pessoas também oferecem ajuda através de trabalho voluntário, por exemplo, ensinando a língua do país ao refugiado.

     Enfim, diante de uma situação como essa, as pessoas precisam colocar em prática valores como solidariedade e respeito, que são essenciais para que os refugiados possam reconstruir suas vidas com dignidade. Tais valores todos nós podemos oferecer. Isso é ser cidadão. Isso é ser humano.

Refugiados chegando na Turquia

http://migre.me/rJMJm

Manifestações contra o governo Dilma – exercício de democracia

Manifestantes contra o governo reunidos na Avenida Paulista

Manifestantes contra o governo reunidos na Avenida Paulista

                                            http://migre.me/p3bX4

 

       Como já comentamos aqui em 2013, manifestação significa um conjunto de pessoas tentando mostrar apoio ou descontentamento com relação a algo. Nesta semana, um dos assuntos mais evidentes é a manifestação contra o governo da presidente Dilma Roussef e seu partido, o PT (Partido dos Trabalhadores). A manifestação ocorreu no último domingo, dia 15, reunindo milhares de pessoas em todo o país. Atos menores também foram realizados em Nova Iorque, Londres, Paris e Buenos Aires. Talvez você esteja se perguntando: por que as pessoas estão descontentes com o governo e com o partido?

      Vamos imaginar algo bem simples: sua escola precisa eleger um diretor. Dentro da escola existem grupos com ideias diferentes, e dentro desses grupos existe um candidato a diretor que será escolhido pelos alunos. Vamos pensar em dois grupos. Um deles defende que todos os alunos deverão ir uniformizados para a escola. O outro defende que cada um poderá frequentar as aulas com a roupa que escolher. Cada grupo desse pode ser chamado de partido. Partido, então, é uma espécie de grupo com os mesmos interesses e ideias, buscando conquistar o poder.

         Como vivemos em um país democrático, temos o direito de participar da escolha através do voto. Vamos então imaginar que, após uma votação, o vencedor da disputa pelo cargo de diretor faça parte do grupo que defende o uso de uniforme. A partir daí, o uso do uniforme passa a ser obrigatório.

     Bem, será que todos os alunos da escola concordam? Será que todos apoiam o uso do uniforme? Certamente não! E os alunos da escola dividem-se entre os que são contra e os que são a favor das ideias e propostas do diretor.   Apesar de nem todos serem a favor, o diretor tem o poder de decidir sobre as medidas tomadas na escola, pois foi escolhido pela maioria. Assim, mesmo tendo que respeitar as decisões do diretor, o grupo que é contra (oposição) tem o direito de se manifestar e demonstrar sua insatisfação com a situação.

         É mais ou menos isso que está acontecendo em nosso país. Existem cidadãos que são a favor da presidente Dilma Roussef e do partido que ela representa, o Partido dos Trabalhadores. Existem também os cidadãos que não concordam com as ideias do PT e estão insatisfeitos com o governo.     Muitos motivos levaram a oposição a se manifestar contra o governo, sendo o principal deles a suspeita de corrupção (práticas ilegais, erradas, desonestas) por seus membros.

     Por vivermos em um país democrático, todos temos o direito de nos manifestarmos. Por isso, além das manifestações contra o governo, também houve manifestações a favor do governo, como a ocorrida em São Paulo na última sexta-feira, dia 13, em que as pessoas foram às ruas demonstrar apoio ao governo.

     Enfim, ir às ruas se manifestar significa que estamos exercendo o direito de expressar livremente nossas opiniões, sejam elas contra ou a favor ao governo. Isso é democracia.

Por que os médicos estrangeiros estão vindo para o Brasil?

Chegada dos primeiros médicos cubanos no Aeroporto Internacional de Recife

Chegada dos primeiros médicos cubanos no Aeroporto Internacional de Recife

http://www.otempo.com.br/polopoly_fs/3.501566.1377386255!image/image.jpg_gen/derivatives/main-single-horizontal-img-article-fit_620/image.jpg

O Brasil é um país muito grande. Dessa forma, nem todas as regiões são iguais. Assim como existem lugares desenvolvidos e com bastante estrutura, existem lugares muito pobres, que sofrem com a falta de serviços essenciais para se viver com dignidade. De um tempo para cá, muito temos ouvido sobre a falta de médicos em regiões como o Norte e o Nordeste do Brasil, onde estão concentradas a maior parte das cidades carentes, e sobre a vinda de médicos estrangeiros (principalmente cubanos) para esses lugares. O que será que está acontecendo? Por que será que faltam médicos brasileiros nessas regiões?  O Brasil não tem médicos para irem a esses locais?

Na verdade, não há falta de médicos no Brasil, mas existem muitos problemas. Esses lugares em que faltam médicos são muito distantes e não oferecem uma boa estrutura para que eles possam cuidar da saúde das pessoas. Imagine um médico trabalhando em um lugar que não há materiais como macas, luvas, remédios, aparelhos para exame…é como você ir para a escola estudar e não ter mesa, cadeira, giz, lousa… Complicado, não é? Por isso, os médicos brasileiros preferem continuar trabalhando em lugares maiores, com melhores condições de trabalho e ganhando melhores salários. Frente a esses problemas, o governo decidiu trazer médicos estrangeiros para trabalharem nesses lugares, o que causou o descontentamento de muitos brasileiros, principalmente dos médicos.

Os médicos brasileiros são contra os médicos estrangeiros?

Não. Na verdade, eles são contra o jeito que o governo está trazendo esses médicos para cá, pois normalmente, quando um médico formado em outro país quer trabalhar aqui no Brasil, ele precisa fazer uma prova para mostrar que está preparado. Se passar, pode vir sem nenhum problema. Até aí tudo bem, não é? Acontece que o governo está trazendo os médicos estrangeiros sem que eles precisem fazer a prova,  coisa que o Conselho Federal de Medicina acha bastante grave.

Além disso, os brasileiros que são contra a vinda dos médicos estrangeiros acham que o correto seria o governo aumentar os salários e melhorar as condições de trabalho nesses lugares, para fazer com que os médicos brasileiros se interessem pelo trabalho nessas regiões.

Nesta última semana, os primeiros médicos estrangeiros começaram a chegar ao país.

 

“Mandela completa 95 anos no hospital”. Você sabe quem é Nelson Mandela?

http://p2.trrsf.com.br/image/fget/cf/407/305/images.terra.com/2013/07/04/mandela-sorri-sol.jpg

http://p2.trrsf.com.br/image/fget/cf/407/305/images.terra.com/2013/07/04/mandela-sorri-sol.jpg

Rolihlahla Madiba Mandela foi líder político e presidente da África do Sul.  Aos sete anos, começou a frequentar a escola, onde passou a ser chamado de Nelson. Quando estava na faculdade estudando Direito, começou a participar de movimentos contra o Apartheid. Apartheid era a maneira como o governo queria que o país funcionasse: somente os brancos tinham direitos e poderes. Brancos e negros não podiam se misturar, e os negros não podiam votar, não podiam comprar terras na maior parte do país e eram obrigados a viver em locais separados dos brancos.

        Nelson Mandela era líder de uma organização que defendia os direitos dos negros, participando de protestos e manifestações. Por lutar contra o governo, foi preso em 1962 e condenado à prisão perpétua (ficar preso pelo resto da vida).

         Com o passar do tempo, muitas mudanças aconteceram, entre elas, o enfraquecimento do domínio branco na África do Sul. O Apartheid chegou ao fim, e o presidente Frederik de Klerk mandou soltar Nelson Mandela em 11 de fevereiro de 1990, aos 72 anos (Mandela passou 27 anos na prisão). Em 1993, Klerk e Mandela ganharam o Prêmio Nobel da Paz, e em 1994, Mandela foi eleito presidente do país.

Para saber mais:

“Livro conta a história de Mandela para as crianças”

 

 

 

Depois de 27 anos na prisão, Mandela foi eleito o primeiro presidente

http://www1.folha.uol.com.br/livrariadafolha/2013/06/1302228-livro-conta-a-historia-de-mandela-para-as-criancas.shtml

 

Manifestações prejudicam popularidade da presidente Dilma Rousseff

http://veja4.abrilm.com.br/assets/images/2013/6/151793/dilma-rousseff-20130605-69-size-598.jpg?1370457748

http://veja4.abrilm.com.br/assets/images/2013/6/151793/dilma-rousseff-20130605-69-size-598.jpg?1370457748

 

As manifestações que vêm acontecendo em todo o Brasil estão deixando o povo brasileiro menos satisfeito com a presidente Dilma Rousseff.

De acordo com pesquisas, a maioria dos entrevistados aprovou as manifestações populares, e  o número de pessoas descontentes com a presidente aumentou bastante, sendo que de cada cem pessoas entrevistadas, cerca de 45 disseram que não votariam em Dilma em 2014 “de jeito nenhum”, complicando sua reeleição, ou seja, que ela seja eleita presidente novamente.