Archive for Ecologia

Disque-árvore faz sucesso em cidade do interior de São Paulo

arvore

                                 goo.gl/G2RMtu

      Você já ouviu falar em disque-pizza? Certamente sim, não é mesmo? Mas em Votuporanga, cidade do interior do Estado de São Paulo, um serviço bastante diferente tem chamado a atenção dos moradores. É o disque-árvore. Sim, isso mesmo! Disque-árvore! Trata-se de um serviço gratuito oferecido pelo Serviço de Tratamento de Água e Esgoto da cidade, em que o morador liga e solicita (pede) o plantio de uma muda de árvore.

    São oferecidas sete opções de mudas para serem plantadas em frente às casas, comércios e indústrias. As mudas oferecidas são: ipê amarelo do cerrado e magnólia, lofantera, magnólia amarela, melaleuca, pata de vaca e aroeira pimenteira.

    Durante o primeiro mês de funcionamento do serviço, já foram plantadas 82 mudas, sendo que a cerca de 90% dos pedidos foram feitos por moradores. Ao solicitar o serviço, é feita uma avaliação técnica para saber qual a planta mais adequada para o local, e então uma equipe vai até lá e faz o plantio, sem custo algum para o cidadão!

    E então, gostou? Essa moda poderia pegar, não é mesmo?

Girafa entra na lista de animais ameaçados de extinção

 

girafa

 

          O mamífero terrestre mais alto do mundo ganhou destaque nos noticiários nos últimos dias. Infelizmente, não foi por um bom motivo…a girafa entrou na lista dos animais ameaçados de extinção. Você sabe o isso significa?

         Extinção é o desaparecimento de uma espécie de ser vivo da natureza. Dizemos que uma espécie está extinta quando não existe mais nenhum representante dela na Terra.

          Apesar de muito triste, a extinção é um processo comum na natureza, e pode acontecer por diversas causas, como catástrofes e intervenção humana. A queda de um meteoro, por exemplo, foi uma catástrofe que causou a extinção dos dinossauros. Há também a situação em que uma determinada espécie sofre transformações tão grandes que pode ser considerada uma nova espécie. Dessa forma, a espécie inicial deixa de existir.

      Entretanto, é a ação do homem que atualmente vem colocando espécies em risco de desaparecerem do planeta, pois ele destrói o habitat natural das espécies para construir casas, estradas, usinas hidrelétricas, plantações, pastos. Além disso, ainda é responsável pela poluição, queimada, caça e pesca. E é justamente a ação humana que está ameaçando extinguir as girafas. O principal habitat natural das girafas – as savanas africanas – vem sofrendo as consequências do desmatamento, da caça ilegal, da expansão da agricultura e do aumento da população dos países da África.

      De acordo com a IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza), a população de girafas diminuiu em 40% (quase a metade!) nos últimos trinta anos.

         A IUCN propôs um critério de classificação de espécies analisadas. Veja:

criterios-girafa

https://goo.gl/rVsKnu

 

            As girafas, anteriormente, eram uma espécie classificada como “de menor preocupação”. Agora, faz parte da categoria “vulnerável”.

      Conforme um relatório divulgado, de 85.604 espécies analisadas, 24.307 correm o risco de serem extintas! Isso é assustador, você não acha?

            Conheça alguns animais ameaçados de extinção:

 

PINGUIM AFRICANO

pinguim-africano

https://goo.gl/rVsKnu

 

         Até o início do século 20, o Pinguim Africano era facilmente encontrado nas praias do sudoeste da África. A espécie, que vive em bandos, é bastante resistente aos predadores naturais, mas acabou entrando para a lista de animais em extinção por causa dos frequentes derramamentos de óleo na costa africana. De acordo com informações da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), é provável que, atualmente, existam apenas 55 mil exemplares do pinguim.

ELEFANTE ASIÁTICO

https://goo.gl/rVsKnu

https://goo.gl/rVsKnu

 

       O Elefante Asiático sofre grande risco de extinção. Desde o início do século 20, mais da metade dos indivíduos foi aniquilada pela ação humana. A espécie, que já perdeu grande parte de seu habitat natural, é caçada por comerciantes de marfim e domesticada para fins turísticos em vários países do sudoeste asiático, principalmente na Tailândia. Este elefante da foto nasceu em 2010, no Zoológico de Berlim.

Veja mais em:

http://super.abril.com.br/galeria/conheca-20-animais-que-correm-risco-de-extincao/

 

Economize água para não ficar no escuro – Falta de água também pode significar falta de energia!

http://migre.me/oDxOy

           Você já ouviu falar em apagão? Já ficou sem energia elétrica para acender as luzes, ligar a televisão, ligar o chuveiro? Terrível, não? Pois é…com a falta de chuvas e a crise no abastecimento de água pela qual estamos passando, também poderemos viver um outro sério problema: a falta de energa elétrica.

       Isso porque, em nosso país, grande parte da energia elétrica que chega em nossas casas é gerada por meio das usinas hidrelétricas. Mas o que as chuvas têm a ver com eletricidade?

         As usinas hidrelétricas apenas funcionam com a força de uma queda dágua. Elas possuem enormes turbinas, parecidas com cata-ventos muito grandes que giram através da força da água de um rio represado. Ao girar, essas turbinas produzem energia. Sendo assim, isso só acontece quando há um volume suficiente de água represada.

         Quando há um grande periodo de seca, os rios ficam com menor volume de água e o nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas cai, fazendo com que as grandes turbinas girem mais lentamente, produzindo menos energia.

         Há outros meios de energia que poderiam ser utilizados para a produção de energia elétrica, como por exemplo a energia da força dos ventos (energia eólica), ou a energia obtida através dos raios do Sol (energia solar). Essas duas formas de energia poderiam perfeitamente ser melhor utilizadas aqui no Brasil, uma vez que nosso país possui grandes extensões/dimensões, ou seja, é muito grande. Assim, há muito espaço para a ocorrência de ventos e muitas áreas onde a luz solar incide para ser captada (vivemos em um país muito ensolarado praticamente o ano todo).

         Infelizmente nossos governantes não investem nessas outras formas de produção de energia elétrica, o que nos faz dependentes das águas das chuvas para obtermos tal energia. Por isso, além da falta de água, você já sabe que agora há mais outro motivo para tomarmos uma atitude contra o desperdício: a energia elétrica.

 

Usina hidrelétrica

http://migre.me/oDy9l

 

Usina eólica

http://migre.me/oDwI

 

Usina solar

http://migre.me/oDyUU

Água: ajude a economizar!

economia_gotinhaeconomica

http://2.bp.blogspot.com/_2tC3pKvlOt8/TEZzjRwcKBI/AAAAAAAAAP Q/ozb4Dv64uXM/s1600/economia_gotinhaeconomica.gif


 

     Sabemos que, nos últimos meses, temos sofrido muito com problemas de água para nosso consumo. Como já foi dito no último post, isso vem acontecendo por estar chovendo menos do que nos anos anteriores nessa mesma época do ano, fazendo com que os rios, as lagoas e reservatórios de água sequem. Isso é um problema muito sério, pois a água é um recurso essencial à toda vida na Terra.

   Nossa única saída é economizar e até reutilizar esse valioso recurso, não deixando que haja desperdício.

     Sabe-se que nessa época do ano inicia-se o período das chuvas e tempestades. A pergunta é: quando começarem as chuvas, poderemos parar de nos preocupar com a economia de água? A resposta é? Não, de forma alguma devemos parar de nos preocupar em economizar a água. Mas por quê?

    A água da chuva, ao cair no solo, é primeiramente asborvida pela vegetação (árvores, plantas) e pela camada da superfície do solo, podendo também evaporar-se em pouco tempo. Se você, por exemplo, jogar um copo de água na areia quente e seca da praia, na terra de seu quintal ou mesmo no asfalto da rua, vai ver que em pouco tempo essa água vai evaporar-se completamente.

      Isso significa que, para que a água volte a acumular-se nas represas e rios, de nada adianta um pouco ou alguns dias de chuva. É necessário que haja muita chuva e por um longo período de tempo (vários meses ou até mesmo anos) para que a água, além de alcançar a superfície do solo, também alcance e encharque as suas camadas profundas até que comece a se acumular de baixo para cima, fazendo assim com que suba o nível das represas e dos rios.

       O que aprendemos com isso?

      Aprendemos que não é porque se inicia a estação das chuvas que as pessoas podem voltar a esbanjar água por aí, pois para que tudo volte ao normal e as represas voltem a ficar cheias novamente é preciso de muito tempo e muita chuva.

       Além disso, mesmo que não haja problemas de seca ou de falta de água, sempre devemos fazer uso racional da água, economizando ao máximo esse recurso tão rico e tão necessário para a nossa sobrevivência. É nosso dever como cidadão!

        Se a economia de água que agora a população está fazendo já tivesse sido começada antes, e a água também tivesse sido armazenada corretamente, poderiamos até mesmo não estar passando pelo sério problema atual. Assim, as prefeituras e os governantes responsáveis também devem sempre estar atentos ao problema e fazerem constantes melhorias e modernizações nos sistemas de captação e ARMAZENAMENTO de água de suas cidades, para que sempre haja água reservada o suficiente, ou seja, uma garantia para os períodos de seca.

       O armazenamento correto da água é um dos fatores de maior importância, pois de nada adianta toda a chuva do mundo se você não “guardá-lá”, armazená-la o suficiente para seu uso no presente e no futuro.

      Por isso, toda a sociedade – eu, você, seus pais, seus amiguinhos, os governantes – devemos nos preocupar com o uso racional e economia da água sempre, seja nos períodos de seca ou mesmo de chuva abundante.”

 

Colaboração: Luciana Nodari

 

Água, cadê você?

Sistema Cantareira

Sistema Cantareira

http://f.i.uol.com.br/folha/cotidiano/images/14066393.jpeg

Está faltando água em São Paulo?

        Quase todos os dias, temos acompanhado notícias sobre a queda do volume de água do Sistema Cantareira. Essas notícias têm deixado a população bastante preocupada, pois estamos passando por uma das maiores crises de abastecimento de água do Estado de São Paulo.

         Dentre os oito sistemas que abastecem a Grande São Paulo, o Sistema Cantareira é o maior  responsável pela captação, tratamento e distribuição de água para essa região. É um dos maiores do mundo, composto por seis represas e 48 quilômetros de túneis.

Por que o volume de água diminuiu? A culpa é de quem?

         Durante o ano, existe um período chuvoso, que vai de outubro até março. Porém,  nos últimos dois anos (2013 e 2014), choveu pouco nesse período, muito menos que o esperado. Tudo bem, a falta de chuva é bastante responsável  por essa crise, mas a culpa não é só dela! Parte da responsabilidade também é do governo. Nos últimos 30 anos, a população cresceu e não foram feitas obras para aumentar a capacidade de armazenamento das represas!

O Sistema Cantareira vai se normalizar?

            Os especialistas dizem que se chover o esperado entre outubro de 2014 e março de 2015, o Sistema poderá chegar aos 39% de sua capacidade (um pouco menos que a metade), mas isso não será suficiente para passar o próximo ano livre de preocupação. Calcula-se que somente em 2016 o nível de água passará dos 50% (metade da capacidade).

Racionamento e volume morto

           Racionamento significa controle da distribuição de recursos que estão em falta. No caso da água, por exemplo, seria ficar com as torneiras secas durante um período do dia, com o objetivo de economizar. O Governo do Estado de São Paulo decidiu utilizar o volume morto da represa ao invés de colocar o racionamento em prática.

      Volume morto é uma parte inativa da represa, utilizada somente em situações de emergência, e está localizado bem abaixo do nível de onde a água é captada.

 

[EDICAO_A - 6]  CORREIO/CADERNO_A/MATERIAL ... 10/05

 

 

Bônus para quem economizar…

      Você sabia que todos nós pagamos pela água utilizada? Dessa forma, uma das medidas tomadas pelo governo para que as pessoas economizem água, é dar desconto na conta para quem diminuir o consumo. Mesmo assim, muitas pessoas não se importam com os gastos e continuam desperdiçando água.

       Segundo pesquisa realizada, os moradores de bairros nobres de São Paulo, como Jardim Paulista, Jardim América e Jardim Europa,  foram os que menos reduziram o consumo de água!  O que está faltando mesmo é conscientização! De nada adianta ter dinheiro para pagar a conta e não ter água!

      Diante de tantos problemas com relação ao abastecimento de água, seria muito bom se a população realmente se conscientizasse e contribuísse com simples medidas para a economia de água.

Veja a seguir o que você pode fazer para ajudar

 –  Hora do banho: os banhos devem ser rápidos. Não se esqueça de desligar o chuveiro para se ensaboar.

–  Molhar a escova, fechar a torneira para escovar os dentes e enxaguar a boca utilizando um copo.

–  Não use a descarga como lixeira! Não acione a descarga à toa!

–  Ao lavar a louça, primeiro raspe os restos de alimentos dos pratos e panelas, e só depois abra a torneira para molhá-los. Ensaboe tudo o que tem que ser lavado, e só depois abra a torneira novamente para enxaguar.

–  Só ligar a máquina de lavar louças se ela estiver cheia.

–  Juntar bastante roupa suja antes de ligar a máquina ou usar o tanque. Aproveite a água do enxague para lavar o quintal.

–   Molhar as plantas com regador ao invés de usar a mangueira.

–    Evitar lavar o carro durante a época de seca.

Saiba mais:

 

http://www.sabesp.com.br/CalandraWeb/CalandraRedirect/?temp=2&temp2=3&proj=sabesp&pub=T&nome=Uso_Racional_Agua_Generico&db&docid=DAE20C6250A162698325711B00508A40 (acesso em 08/09/2014)

http://www1.folha.uol.com.br/especial/2014/crisedaagua/ (acesso em 08/09/2014)

http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/sp/2014-08-28/bairros-nobres-sao-os-que-menos-economizam-agua-na-capital-paulista-diz-sabesp.html (acesso em 08/09/2014)

 

Aplicativo criado por brasileiros ajuda a combater lixões ilegais

lixarada1http://livetouch.com.br/universotouch/wp-content/uploads/2013/07/lixarada1.jpg

Infelizmente, podem ser encontrados em vários lugares, depósitos de lixo ilegais. Nesses locais, há muito lixo acumulado em condições que não são apropriadas ou corretas para o lixo ser deixado, o que pode causar mal às pessoas e ao meio ambiente (poluição, doenças, etc). Mas agora, as pessoas já podem ajudar a reduzir esse problema.

 Um grupo de brasileiros criou uma maneira em que as pessoas podem denunciar de forma mais fácil esses lixões clandestinos às autoridades responsáveis (à prefeitura, à secretaria do meio ambiente) pelo celular! Esse grupo desenvolveu um aplicativo para celulares do tipo “smartphones”, que permite que as pessoas denunciem o lixão clandestino. Esse aplicativo possui um sistema de localização que mostra, através de um mapa, o exato lugar em que está o lixão encontrado, e até o tipo/tamanho de lixo.

         Essas informações são enviadas diretamente para as autoridades através desse aplicativo. As pessoas também podem fotografar e enviar as fotos, para melhor comprovação. Esse aplicativo ainda está somente disponível para Iphone. Os criadores estão desenvolvendo uma versão para Android, que deve ser lançada até o final do ano. Uma boa ideia, não? Você, podendo colaborar para a melhoria do meio ambiente, através de seu celular!

 

O que acontece com o lixo quando ele é jogado no meio ambiente?

 

 

http://embuscadosgigantes.com.br/wp-content/uploads/2013/07/lixo-mundo-salvar-planeta.jpg

http://embuscadosgigantes.com.br/wp-content/uploads/2013/07/lixo-mundo-salvar-planeta.jpg

 

Você sabe o que acontece quando o lixo é jogado no meio ambiente?  Aqui vão alguns exemplos …

  •        Pedaços de plástico e de metal podem demorar mais de 100 anos para se decompor (desaparecer) na terra.
  •        Uma garrafa de vidro pode demorar 1 milhão de anos para desaparecer (Já pensou? 1 milhão de anos?)
  •        A embalagem do leite longa vida que tem na sua geladeira pode levar cerca de 100 anos se decompor.
  •        Até mesmo o chiclete que você mastiga, se jogado no chão, pode demorar uns 5 anos para desaparecer!

        Imagine só todo esse lixo na natureza, nos rios, na terra, causando sofrimento aos animais, e até mesmo entupindo os bueiros das cidades, ajudando a provocar enchentes nos dias mais chuvosos! Por isso é muito importante que esse lixo não seja jogado por aí! Os diferentes tipos de materiais devem ser
separados (papéis,  garrafas,  plásticos,  latas…) antes de serem coletados, para que então sejam reciclados e reaproveitados. Quando esses materiais são reciclados e reaproveitados, são
utilizados na criação de novos materiais, contribuindo para a diminuição da poluição do solo, da água e do ar. Muito bom isso, não? 

Observe as fotos a seguir… Não é isso que queremos para os animais e o meio ambiente!

 

 

(Colaboração – Luciana Nodari)

http://www.vivaterra.org.br/lixo_mar_1.1.jpg

http://www.vivaterra.org.br/lixo_mar_1.1.jpg

http://www.tamar.org.br/fotos/lixo%20e%20tartarugas%20marinhas.jpg

http://www.tamar.org.br/fotos/lixo%20e%20tartarugas%20marinhas.jpg